Celso Custodio
Na vida tudo é difícil, mas difícil mesmo é ser perfeito.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

     
QUARTO SECRETO

     Não dá mais para disfarçar quando a persigo com os meus olhos, mas parece que estás bem longe do meu coração.
        Não sei o que acontece comigo quando ás vezes sinto a sua presença em forma de saudade, é de se admirar que onde estiver, algo me diz: ainda tem alguma coisa que está em desarmonia, não sei o que é.
        Daria tudo para estar ao teu lado sem dar a entender a multidão, o que sentimos é maior do que nós, desmascarando todas nossas atitudes contrárias, e nos aproximamos um do outro cada vez mais.
        Que venha o grito de liberdade, que do mal entendido pode sobressair à independência das ideias e ações, que suspiremos aliviados, os nossos afagos sejam mais verdadeiros e seus beijos devem serem mais abrasados.
        Há tanta covardia na consciência humana que não vê a luz de um amor sacramentado; o que é belo traz pudor e o que é feio é descartado.
        Que rugem todos os tambores do amor, que das tuas palavras possam ser direcionadas para o alvo certo, que o pousar dos teus pés por onde andares não sejam vacilantes, que o beber das tuas fontes nutrem o alimentar da vida, infinito azul do céu desse horizonte.
        O anseio parece que nos cerca de dúvidas e inquietações, mas a barragem da dificuldade, incompreensão, incerteza e desânimo podem romper a qualquer momento, a menos se estivermos preparados para tal avalanche, senão seremos destroçados.
        Busco a tua face a admirável obra do criador que não deixou a desejar, se as estrelas são as mais belas, tenho certeza que você veio de lá.
        O arco-íris anuncia uma nova aliança, as nuvens evaporam-se no céu e o sol lambe as águas do oceano iluminadas do amanhã; as montanhas trazem as brisas das fontes juntos com as maresias, e a tarde despede-se do dia sem pedir passagem.
        Embriaguei-me das delícias dos teus encantos; ocultei-me no quarto secreto dos meus prantos, para que as paredes não ouvissem os meus suspiros, e a noite não despertasse do outro lado do mundo.
        Se as luzes se apagassem no infinito, mesmo assim ainda haveria esperança, não se perderia na penumbra, nem na escuridão profunda, lutaria até não mais ter forças, suaria até a última gota de sangue.
        A carícia é somente para quem sabe domar um leão, pois com as tuas mãos delicadas e macias esse animal feroz adormece em teus braços, quando os tens todos os dias.
        Não é magia, nem encanto, é conquista, é domínio; senão houver choro não haverá pranto. É arriscar sem ter de a onde tirar forças, perdoar sem cobrarem as culpas; tirar fôlego de vida onde não há.
        É no secreto do meu quarto que deixo cair toda minha máscara, para que a verdade possa sobressair. Não me escondo por detrás das irrealidades das ficções imaginárias; há um impulso muito forte que não me deixa desistir, uma luz bastante clara que me conduz a seguir.
        Paredes de angustias, profundas inquietações, arranha-céus de intolerâncias, fortalezas de emoções; penetrar no âmago do teu pensamento e rasgar todas as figurinhas indesejadas, que atravessaram no nosso relacionamento, e destruir os castelos de tantas mentiras que construíram a nossa volta.
        Não perder tempo com a mesmice sem trair a timidez; dar tempo ao tempo sem contar os dias atrasados, e negar a confiança na estupidez; o que é barato torna-se caro, transparente o valor próprio, o erro de não ter visão.
        As marcas do passado querem acompanhar o presente, mas o futuro ainda não está tão longe de nós; as veredas que estão ligadas essas trajetórias podem ser até espinhosas, mas há como romper com todo esse complexo de inferioridade que impede de prosseguir essa viagem, pois o nosso futuro ainda está intacto.
O melhor ainda está por vir!!!
Espere!!!
  
       
       
         
 
         
       
Celso Custódio
Enviado por Celso Custódio em 26/02/2019
Alterado em 22/03/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.celsocustodio.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras