Celso Custodio
Na vida tudo é difícil, mas difícil mesmo é ser perfeito.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

CORPO E ALMA
 
Dói é ver a gente longe, mas sentindo
Dentro de outro a vida desvairar-se no
Tempo; onde recolho no vento as saudades
Que não esqueci jamais.
Dói é nosso olhar obcecado um pelo
Outro, como se fosse um sinal em cada
Esquina, e você nega a própria sina e
Não da mais vontade de dormir.
Tua voz ecoa dentro do meu pensamento,
Que prefiro ocultar meu sonho, e que possa
Reviver em pranto tomar contigo o cálice santo,
E embriagar pelas ruas.
Tantas saudades dos teus beijos, das tuas carícias, de minhas mãos entre teus seios,
Amamentando a nossa criatura que tanto
Imaginamos.
A cada passo sinto-me perdido no espaço, sem que o céu se descubra a castidade, e uma estrela anuncia a virgindade saudando o nosso astral.
Não me esqueci das tuas malícias que teu corpo em meu corpo sacie, que a tua alma em minha alma se reconcilie.
 
 
 
 
 
 
Celso Custódio
Enviado por Celso Custódio em 17/08/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.recantodasletras.com.br/autores/celso custodio). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras