Celso Custodio
Na vida tudo é difícil, mas difícil mesmo é ser perfeito.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

DESPEDIDA


Dia nublado com poucas
Nuvens no céu.
Semblante caído triste
Amargurada, tímida.
Um sorriso sem alegria
Despontou dos seus lábios
Frios esculpidos no espelho;
Minha própria sombra escurecida,
Refletia o triste retrato de mulher
Sofrida.
As pulsações das veias do seu
Pulso pulsa mais forte,
E as batidas frenéticas do
Coração diminui paulatinamente.
Igualando a sinfonia com o choro,
Seu corpo ondulado acompanhava
Em passos largos a amiga.
Os primeiros beijos, os primeiros flash,
O aroma suave da noite fria.
Olhares cruzam-se bem distantes
Dos meus: A despedida.
Morte fatal!
Faca escondida apunhalando por
Trás suas próprias amigas.
Fui traído!
Naquele dia a noite parecia curta,
Debrucei-me diante da minha estante
De livros, rasgando de raiva às fantasias da vida.
Despertei-me de um sonho falido,
Recostado num canto da sala ferido,
E você ao meu lado sussurrava baixinho
No meu ouvido: o que foi isso querido?



 
Celso Custódio
Enviado por Celso Custódio em 27/06/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.recantodasletras.com.br/autores/celsocustodio). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras