Celso Custodio
Na vida tudo é difícil, mas difícil mesmo é ser perfeito.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

BELEZA
Na dor pungente da alma lhe
Arranca um atroz sorriso.
E a beleza ressurge manifestada
Em ansiedade,
O fiel pergaminho do amor.
Buscando na alma, delira fingia
Ser só algo tão belo e novo.
Suspira de anseio o beijo, no
Corpo que brinca, bailando na
Dança do olhar.
E vai por aí afora, rugindo, fugindo e
Pedindo,
Rogando e implorando um amor pra
Ti dar.
E o velho veleiro cansado, saciado desfaz
Em tréguas nas ondas do novo mar.
Sou eu que escondo entre as nuvens,
O arco, o topo, a vela do meu próprio
Barco, para pedir-te amando e chorando
No tempo e no espaço.
Celso Custódio
Enviado por Celso Custódio em 14/06/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.recantodasletras.com.br/autores/celsocustodio). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras