Celso Custodio
Na vida tudo é difícil, mas difícil mesmo é ser perfeito.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

O MAR
Oh! mar por que não escuta
O meu gemido,
O meu silêncio que estás a contemplar?
Por que não sintas, não finja que chora
E assim decoro as cantigas do nosso mar?
De estampado azul tu brilhas todas as
Manhãs, e no cair da noite o teu
Silêncio fúnebre não queira me escutar?
Oh! mar repousa sobre mim o teu
Encanto,
Que a brisa para mim não me espanto,
No dia em que foste chamado de mar.
O que me encanta são as tuas ondas
Tangidas de sons e de maravilhosos
Arpejos, que canta outrora um beijo,
Que anunciam o céu o teu despertar.
Oh! mar...
Oh! mar...
Celso Custódio
Enviado por Celso Custódio em 14/06/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.recantodasletras.com.br/autores/celsocustodio). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras