Celso Custodio
Na vida tudo é difícil, mas difícil mesmo é ser perfeito.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

IRA
Dançar como dança
O bailarino no ar
Conter todo medo e
Terror como fosse
Lutar
Cheirar como cheira
A sorte de quem cheira
O sovaco da morte
Se dominar no trampolim
Sobreviver meu arquelim
Azucrinou quem despreza
Despreza o cidadão de cor
Não se tocou que a mistura
Foi feita meu sangue
É Nagô
Além do mais você foi
Aquele capataz
No porão sobrevivera uma
Nação
Nas águas mais tranquilas
Nas fontes cristalinas
Até o mar despejou toda
Dor
A dor das mais sofridas
E toda a nação respondeu
E todo sangue clamou
Até quem não foi filhos
Teus
Teve as benção do nosso
Senhor
Assim que o mar vomitou
Toda ira
Celso Custódio
Enviado por Celso Custódio em 18/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (ceslo custodio. recantodasletras.br/autores/celsocustodio). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras