Celso Custodio
Na vida tudo é difícil, mas difícil mesmo é ser perfeito.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

FURACÕES DE BEIJOS
Se o amor começar
Com gestos, gritos e
Ofensas
Quem não tem carinho pra
Dar, e nem mesmo paciência
Candidato a pobreza de espírito
E nobreza
O seu ego é pra si mesmo
Não quer repartir a mesa
Vai viver aprisionado entre
As grades do egoísmo
E sem ninguém do seu lado
Solitário e perdido
Como a fumaça que passa
Sem sentir a sua falta,
Viverá no ostracismo e longe
Dos seus amigos
Se o amor começar com as
Letras do seu nome
Vou pedir a Sabiá pra desenhar
Meu sobrenome
E as estrelas lá no céu,
Irão vingar meu sofrimento
Soa o bravo trovão com forte
Rajadas de ventos
É assim que a natureza dar
Resposta a covardia
Ruge o mar, mas que beleza!
Forma a chuva do dia
Risca a terra de lampejo
Dos teus raios de desejos
Terremotos de paixões entre
Furacões de beijos
E a lua desmentia, corpos nus
Em noite fria
Madrugada anunciada
Maré cheia desvairada
Celso Custódio
Enviado por Celso Custódio em 14/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (celso custodio www.recantodasletras.br/autores/celsocustodio). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras