Celso Custodio
Na vida tudo é difícil, mas difícil mesmo é ser perfeito.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


FIGURA

Pintei com tintas vermelhas
Sete figuras de meu pai
A mobília da casa é velha
No cinzeiro pedaços de cigarros
No banheiro o espelho quebrado
Ficou (bis)
Levantei na matina da noite
Esperando o sossego do dia
Na fila é o preço da hora
E a ida é a pressa de vir embora
Pintei sete figuras de meu pai
No recanto da sala estou em
Silêncio
Não ouviste meu canto, nem
Meu próprio lamento
Minha alma suplica o teu
Mandamento
Vem em forma de brisa
Refrescar meu tormento
Meu peito perfurado por
Estilhaço da vida
A saudade a ferida que tu
Me deixaste
O pranto que choro, me magoa
Por dentro
Aprendi entre versos o teu
Mandamento (bis)
A roupa de cama e de mesa tem
Um cheiro gostoso
Teu retrato fardado de linho
Um relógio quebrado na cabeceira
Besteira, tu partiste de mim
Besteira, tu fugiste de mim
Besteira, ti pintei todo assim
Pintei com tintas vermelhas
Sete carinhos, sete destinos
Sete figuras de meu pai
Celso Custódio
Enviado por Celso Custódio em 13/04/2017
Alterado em 22/08/2019
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras