Celso Custodio
Na vida tudo é difícil, mas difícil mesmo é ser perfeito.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

SAVEIRO
Morena, menina das docas
Menina faceira
Que nas noites de lua cheia
Se senta ao luar
Moça do corpo molhado
E da pele morena
Teus lábios de cereja
Vem minha boca adoçar
Morena da roupa de chita
Que dorme na rede
Se embalança e alisa
Seus cabelos na rede
Pensando no saveiro
Que volta do mar
Moça morena bonita
Que dorme na rede
Teu saveiro não fica
No mar, nem na areia
Nem nas águas profundas
Que encobrem o mar
Moça o teu coração
Não fica entre mares
Nem no Rio Jordão
Não corre nas lagoas
Não navega nas proas
Não sente paixão
Quando você vê o teu saveiro
Navegando nas ondas deslizando
No mar
Quando você vê o teu veleiro
Peça ele que leve-a
Pra bem longe do mar
Vai que essa brisa me encanta
Teu coração que orienta
Como a bússola do mar
Celso Custódio
Enviado por Celso Custódio em 13/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (celso custodio www.recantodasletras.br/autores/celsocustodio). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras