Celso Custodio
Na vida tudo é difícil, mas difícil mesmo é ser perfeito.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

ZUMBI DOS PALMARES
Zumbi chorou, Zumbi chorou
E foi passear na floresta
Com Nagô
E lamentou a sua dor
De quem sofreu mais não
Pagou
Estremecida a sua mágoa
És uma esfinge apaixonada
Néctar de uma flor
Zumbi falou, Zumbi chorou
Meu povo é raça
Meu canto é fé
Meu choro sara todo
Bicho-de-pé
Como minhas chagas
Me dói tanto
Zumbi é deus ou Zumbi
É santo
Vem aliviar este meu
Pranto
Enxuga os olhos meus
Relampejou e trovejou
Chuva que cai mistura
Granizo
E uma voz enfraquecida
Ecoa um grito
Quem vai falar não me
Assusta
Uma voz suave me ordena
Planta de teus pés
Fruta obscena
Enxuga os olhos teus
Relampejou e trovejou
Zâmbi...  Zâmbi... Zâmbi
Zâmbi... Zâmbi... Zâmbieo
Celso Custódio
Enviado por Celso Custódio em 12/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (celso custodio www.recantodasletras.br/autores/celsocustodio). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras